April 30, 2021

O Padrão Agressivo em Plena Floração

By YvY

Uma vez que o fluxo de energia no corpo contribui para moldar o corpo, quando o corpo cresce, o aumento do fluxo de energia ascendente da pessoa de padrão agressivo geralmente faz com que a metade superior do corpo se torne maior do que a metade inferior. Normalmente, o corpo assume a forma de V, com ombros largos e fortes e quadris mais estreitos. As pernas são mais finas e fracas. A pessoa é atraente e forte, mas pode parecer pesada e sem chão. A pessoa tem um núcleo forte, mas é um núcleo defendido, não um centro aberto e relaxado. Ela não descansa em seu âmago e apenas deixa que ele a apoie. Em vez disso, existe uma tensão interna constante, uma tensão tão habitual que ela não percebe ou imagina que poderia relaxar. Essa tensão se manifesta em seu comportamento como uma constante cautela e prontidão para lutar pela sua sobrevivência. Seus olhos tendem a ser atraentes. Quando ela olha para você, você pode sentir a pressão de sua vontade empurrando você, levando você a concordar com ela. A tensão em seu núcleo se mostra em seus olhos como uma qualidade vigilante e desconfiada, como em um estado de alerta ligeiramente tenso, em vez de um estado de alerta aberto e relaxado.

Mencionado no capítulo sobre o Padrão de Fuga, uma das principais diferenças entre predadores e presas é que os predadores, quando estão perseguindo presas, mantêm sua atenção focada no ponto, uma atenção focada no que elas querem. As presas, por outro lado, mantêm sua atenção aberta e focada no campo, que permite que elas percebam o perigo vindo de qualquer direção. O estado ligeiramente tenso de alerta de uma pessoa com Padrão Agressivo é semelhante ao foco no ponto atenção de um animal predador, exceto que aqui está sendo usado como uma estratégia de sobrevivência. Em um animal predador, o foco está presente apenas quando é necessário para caçar e depois quando em repouso ele relaxa. Uma pessoa pega na agressividade deste Padrão nunca parece verdadeiramente segura, sua atenção nunca relaxa totalmente.

Esta tensão também se mostra no padrão de retenção do corpo, que é perpetuamente tenso. Observe como isso contrasta com o Padrão de Fuga, o Padrão de Fusão está se segurando e o Padrão Duradouro está se segurando. Os corpos das pessoas que seguem o Padrão Agressivo são geralmente fortes e atléticos, mas pode ter sido danificado por ser repetidamente pressionado com muita força. Levar seus corpos ao limite os coloca frequentemente em um estado de adrenalina e tende a torná-los viciados em adrenalina. Se elas habitualmente abusam de suas glândulas adrenais, podem cair em um estado de exaustão adrenal, no qual seus corpos começam a se decompor seriamente. Isso acontece porque nossos corpos são projetados para usar adrenalina apenas por curtos períodos de tempo, seguidos por períodos de recuperação. A energia da vida vem da terra e nutre o corpo, enquanto a energia adrenal é uma energia falsa, uma energia química, que destrói o corpo. Mulheres que seguem o Padrão Agressivo são especialmente propensas a abusar de suas glândulas supra-renais porque não têm tanta testosterona inata para sustentar sua força.

Psicologia

As pessoas com Padrões Agressivos são as primeiras que, quando respondem a uma situação de luta ou fuga, sintam-se capazes de lutar e vencer. Esses novos poderes são uma conquista real no desenvolvimento de qualquer criança. O que falta para esta criança, no entanto, é a experiência de ser contida e protegida por uma força amorosa, porém maior. Esta força maior foi ausente (nenhum dos pais pode conter o/a filho/a), ou a força maior não foi amorosa (o pai ou a mãe atacou ou se desconectou dela), ou a força maior a traiu (o amor da criança foi usado para manipulá-la). Sem essa proteção vindo duma força amorosa e maior, a criança não tem sentimento de segurança e não pode relaxar. Isso a deixou com a crença de que ela governa o poder, e que apenas sua própria vontade e força podem protegê-la. O principal problema para pessoas com Padrão Agressivo, então, é a dúvida de que elas podem confiar e depender de outros. Isso as coloca num estado de medo perpétuo em relação a sua sobrevivência física. Uma vez que não podem confiar nos outros, elas tentam dominá-los e controlá-los a fim de sentirem-se seguras. O refrão delas é: “Eu sabia que não podia confiar em você.” Elas podem permanecer no estado de lutar ou fugir por toda a vida e, normalmente, acreditam que é normal.

Ficar Preso na Mentalidade de Luta

Em situações traumáticas quando ainda pequena, ela de fato foi capaz de abrir caminho sozinha. E depois foi incapaz de recorrer aos outros para o consolo que precisava para sair da situação – para se reconectar com eles, e com seu próprio coração, e sentir-se segura novamente. Isso a deixou presa em um perpétuo ciclo de dominar e controlar tudo para tentar criar algum senso de segurança, e estava sempre pronta para lutar por isso. Por serem mais velhas, as pessoas de Padrão Agressivo têm estruturas de ego mais fortes e tendem a ser menos flexíveis. Na psicologia, elas são ditas “ultrapassadas”. Embora isso lhes dê mais estrutura interna, também as torna menos sensíveis e menos conectadas com as outras pessoas. Aquelas que usam esta estratégia de defesa raramente fazem terapia, e geralmente somente quando sua inflação e grandiosidade forem quebradas e alguma fraqueza ou necessidade for revelada. E mesmo assim, sua única motivação provavelmente será a restauração de sua força, seguida por uma saída rápida da terapia.

Orientando-se para a Verdade

Como todos os seres humanos, as pessoas do Padrão Agressivo precisam de alguma forma de orientar-se no mundo. Elas precisam de um ponto de referência. Mas, ao orientar-se pelo amor ou à conexão acabaram se machucando no passado, agora elas em vez disso, orientam-se para a verdade da situação. Elas veem que descobrir a verdade é a chave para sua sobrevivência, enquanto o amor e a conexão são dispensáveis. Isso significa que o mundo que elas experimentam é fundamentalmente diferente do mundo vivido por aqueles que usam sua conexão com os outros como ponto de referência. Para descobrir a verdade, elas desenvolvem um ótimo detector de besteiras, uma habilidade que é também conhecida como “malandragem”. Elas são energeticamente sensíveis e têm uma noção exata de seu próprio âmago, então elas notaram que quando alguém fala a verdade, ressoa com seu núcleo, enquanto quando uma pessoa mente, não ressoa – não “parece certo.” Elas também notam que, monitorando seus próprios sentidos, podem detectar mentiras de outras pessoas. Quando aqueles que você ama enganaram você, você se torna muito focado em encontrar maneiras de evitar ser enganado novamente.

O que essas pessoas estão realmente fazendo é ler sua energia e compará-la com sua palavras. Se suas palavras corresponderem à sua energia – o que significa que são verdadeiras, ou pelo menos você acredita que são verdadeiras – a pessoa de Padrão Agressivo vai confiar no que você diz e ouvir você. Se elas sentirem que suas palavras não ressoam dentro de você, então elas não vão confiar em você, não importa o que você diga. Elas vão descartar suas palavras e procurar o que você está escondendo. Quando uma pessoa é pega neste Padrão de Sobrevivência, sua própria sensação de ressonância é a única coisa em que elas confiam – nem suas palavras, nem suas promessas, nem mesmo seus atos. Elas se preocupam com a verdade da situação, não se é agradável ou desagradável, reconfortante ou assustador. Elas querem a verdade, e saberão quando a ouvem, porque seu sistema irá acalmar-se quando ouvirem a verdade, por mais desagradável que seja. Elas vão se render à verdade de uma situação, mesmo que nunca se rendam para uma pessoa. Render-se a uma pessoa é uma derrota. Render-se à verdade é sobrevivência.

Crenças

As crenças de pessoas com Padrões Agressivos refletem sua história de sentir-se sozinha e sua forte vontade de sobreviver. Algumas de suas crenças típicas são:

“Estou sozinha.”
“Não existe ajuda.”
“Ninguém se importa.”
“É uma selva lá fora.”
“Só os fortes sobrevivem.”
“Confio somente na verdade.”
“Eu tenho que fazer tudo sozinha.”
“É tudo uma questão de vontade.”
“As regras são para outras pessoas”
“O abuso é normal.”

Medos

Ao falar sobre pessoas com Padrões Agressivos, os outros costumam dizer que seu principal problema é a necessidade de domínio e controle, porque esse é o principal tema de seu comportamento. Mas se nos perguntarmos – “Por que alguém acha que precisa tanto de controle sobre todos ao seu redor? ” – vemos que seu problema mais profundo é a incapacidade de confiar que os outros irão cuidá-las  e protegê-las, isto é, o medo de que confiar nos outros as levará a decepção e traição. Logo abaixo da superfície da consciência, as pessoas presas neste Padrão de Sobrevivência normalmente pensam: “Ninguém se importa. Estou sozinha. Não há ajuda. Eu tenho que fazer tudo sozinha. ” Elas acreditam que a única atitude segura, então, é permanecer cautelosa e desconfiada, e a única ação segura é manter o controle de tudo e superar todos ao seu redor.

Por trás de sua atitude superior, existem muitos medos, mas esses geralmente não são sentidos ou reconhecidos. Você pode ser capaz de inferir seus medos a partir de seu comportamento, mas se você perguntar, elas geralmente irão relatar que não sentem nenhum medo.

Medo de Vulnerabilidade –

Elas temem a vulnerabilidade de qualquer tipo. Vulnerabilidade significa que são fracas ou precisam de algo, e fraqueza e necessidade são uma ameaça à sobrevivência. Mesmo recebendo o que precisam de outra pessoa é visto como uma ameaça porque pode levar a depender dessa pessoa. Para aqueles que seguem o Padrão Agressivo, o único lugar seguro para obter o que precisam é de dentro de si mesmos.

Medo de Depender dos Outros –

Seu maior medo é ser dependente de outras pessoas, portanto, quaisquer emoções que dariam a outros poder sobre si são suprimidas. Obviamente, isso significa que apegar-se a outra pessoa ou precisar emocionalmente dela não pode ser permitido ou admitido. Lembre-se, sua ferida central surgiu ao ser dependente de alguém que falhou. Mas, é claro, elas precisam dos outros, assim como todos nós, mas encobrem suas necessidades fingindo que não se importam. Se você quer discernir a profundidade de sua necessidade por alguém, não se concentre na indiferença fingida, mas até onde irão para manter o controle sobre aquela pessoa. Ou seja, quanto mais precisam de alguém mais controlam esta pessoa.

Medo de que Suas Necessidades Sejam Demasiadas –

Pessoas com Padrões Agressivos também temem que suas necessidades sejam demasiadas para lidar. Isso pode ter sido literalmente verdadeiro para elas na infância. Quando tiveram um acesso de raiva e precisaram de um pai forte o suficiente para conter sua raiva – para segurá-las durante a tempestade – muitas vezes, nenhum de seus pais eram capazes de fazer isso. Elas concluíram que os outros estavam com medo de suas necessidades, e que seus cuidadores ficaram com medo de suas necessidades também.

Medo de que Sejam Ruins por Dentro –

Elas sabem que, para sobreviver, escolheram o poder e renunciaram ao amor, então, em algum nível, aqueles que desenvolveram o Padrão Agressivo temem que sejam pessoas ruins por dentro. Tentam esconder isso, e secretamente temem que haja um monstro vivendo dentro delas, um monstro que explode quando estão com raiva e explodem com as pessoas. Elas viram o dano que suas explosões causaram a outras pessoas e nos relacionamentos, e sentem-se envergonhadas, mas também se encontram impotentes para parar com isso. Por outro lado, se elas abandonam toda esperança de amor humano e abertamente abraçam o ser mau, então elas se tornam um monstro. Um exemplo disso é Sauron no O Senhor dos Anéis. Este personagem abraçou o lado negro de si mesmo e recebeu o nome de “o Lorde das Trevas.” Ele enunciou toda esperança de amor e governa agora através do poder e do medo. Embora tenha subordinados, é totalmente solitário.

Terror Congelado –

E, no fundo de todos os seus medos reprimidos e negados, há um forte terror congelado. Esta é a ferida original, o terror que parecia tão fatal e onde a pessoa renunciou a toda dependência para fugir dele. Mas esse terror foi trancado no porão da consciência, e geralmente não aparece a menos que a pessoa faça um trabalho interno profundo ou se apaixone profundamente. O emocional, o apego a um relacionamento romântico profundo e sincero vai despertar novamente o terror porque re-constela a experiência de precisar emocionalmente do outro ser humano. Por causa disso, apaixonar-se profundamente é normalmente evitado por pessoas que são apanhadas neste Padrão de Sobrevivência.

Defesas Psicológicas

Tal como acontece com todos os Padrões de Sobrevivência, as defesas psicológicas das pessoas agressivas são todas tentativas de fornecer segurança para si mesmas em um mundo inseguro. Vejamos cada uma dessas defesas.

  • Agressão Ativa

Sua estratégia de defesa mais óbvia é a agressão ativa. Note como ela difere da agressão passiva usada por pessoas com Padrões Resistentes. Enquanto as pessoas com Padrões Resistentes negam e escondem sua agressão, às pessoas do Padrão Agressivo se identificam com sua agressividade e até mesmo se exaltam com ela. Estas não são as crianças que perderam as lutas, mas aquelas que as venceram. E mesmo quando foram espancadas, nunca se renderam. Em vez disso, aprenderam a usar sua raiva e agressão estrategicamente para obter o que desejam. Elas estão familiarizadas com sua raiva e capazes de usá-la deliberadamente para obter o que desejam. Elas podem até reconhecer isso verbalmente com uma pergunta como: “Quão zangada eu tenho que ficar para você fazer o que eu quero? ” Por trás de sua raiva, há sempre uma necessidade enterrada. Elas são provavelmente inconscientes disso, e muito provavelmente não vão reconhecer, mesmo quando estão cientes disso, mas está lá, no entanto. Preencher essa necessidade é um dos principais objetivos de sua raiva. Falaremos mais sobre isso na seção sobre sua abordagem ao conflito.

  • Charme

Às vezes, sua agressão não é tão óbvia. Às vezes elas trocam de estratégias e, em vez disso, usam seu carisma para convencer os outros a fazerem o que querem. Esta mudança de estratégia é uma resposta pragmática à situação. Elas avaliaram a situação e decidem que o charme funcionará melhor do que a agressão neste caso. Na situação atual, elas não têm o poder ou posição para comandar, ou podem ter decidido que charme e manipulação são ferramentas mais potentes para chegar ao resultado que desejam. Estejam elas planejando uma sedução ou um golpe no palácio, esta estratégia pode crescer de forma complicada tornando-se uma trapaça ou engano. Embora a maioria das pessoas com Padrões Agressivos sejam capazes de encantar e intimidar, elas geralmente dão preferência por uma estratégia e a usam na maioria das vezes, mudando para outra estratégia apenas quando a escolhida não está funcionando.

  • Projeção

Outra defesa psicológica é a projeção. Medo, necessidade, dor, fraqueza e vulnerabilidade são projetados nos outros, muitas vezes acompanhadas por uma atitude de desprezo por eles. Isso mantém longe todos esses sentimentos rejeitados e permite que a pessoa de Padrão Agressivo diga: “Eu sou grande, forte e invencível. Os outros são fracos, dependentes e pequenos.”

  • Objetificação

Sua projeção é facilitada por outra defesa, chamada de “objetificação”. Isso significa que tanto o eu quanto os outros são reduzidos de seres humanos complexos e multifacetados a objetos. Todos nós percebemos e valorizamos a humanidade um dos outros através de nossos corações, então quando nossos corações estão fechados, perdemos o valor inerente como humanos e, em vez disso, as pessoas tornam-se objetos para nós. Então, optamos por outra forma de medir seu valor, que geralmente se resume a: “O que eles podem fazer por mim?” Isso não é mau; é simplesmente uma forma pragmática de atribuir valor quando o coração está desligado. Pessoas que são apanhadas no Padrão Agressivo também adotam este método de atribuir valor ao outro. Uma vez que elas valorizam a altamente a competência, elas também atribuirão valor de acordo com a competência da pessoa. Se alguém é competente, eles são valiosos; se não, eles são inúteis. Note que elas também aplicam esse sistema de avaliação a si próprios. Isso as leva diretamente a suas crenças padronizadas de que “Ninguém se preocupa com meu coração ou minha humanidade, apenas com minha competência” e “Sem minha competência, não tenho valor”. Por trás dessas crenças, há um coração partido muito profundo, mas é necessário muito trabalho interior para trazê-lo à consciência.

  • Auto idealização

Todas as defesas acima são apoiadas por outra defesa psicológica, chamada de “auto-idealização”. A ilusão desse Padrão é de que eu sou superior. Eu sou super competente.” Ao enfrentar um problema, as pessoas de Padrão Agressivo costumam pensar: “Eu posso fazer isso. É só uma questão de vontade.” A crença delas é “Eu posso fazer tudo.” Esta auto idealização traz consigo sentimentos de orgulho, superioridade e até mesmo invencibilidade. A idealização de suas próprias habilidades muitas vezes as leva a sentirem-se competentes em situações em que elas realmente não são. Isso é vividamente mostrado em situações onde estão absolutamente certas de si mesmas, embora todos percebam que está totalmente errada. Sua auto idealização também se manifesta como uma atitude de direito. Isso pode ir tão longe a ponto de acreditar que têm o direito de fazer o que quiserem e tomar tudo o que eles precisam. A suposição deles é que o mundo é organizado hierarquicamente de acordo com o poder, e uma vez que eles têm mais poder, eles têm direito de governar sobre os outros e tomar o que quiserem. Este sentido de direito é mais óbvio em sua crença de que está tudo bem para eles explodir os outros em conformidade.

  • Desvalorizando os Outros

Claro, para se sentirem superiores, elas também têm que desvalorizar os outros, algo que esse padrão geralmente faz. Cada um dos três Padrões de Sobrevivência anteriores tendem a se desvalorizar e se sentirem deficientes, mas aqui a estratégia de sobrevivência muda para ver a si mesmo como superior e os outros como deficientes.

  • Desvalorizando o Amor e a Conexão

Pessoas de Padrão Agressivo também desvalorizam sua necessidade de amor e conexão com outros. Frequentemente, elas negam que precisam de amor e conexão, porém terão essa necessidade satisfeita/suprida fazendo com que os outros precisem delas e se apegue a elas. Dessa forma, elas podem obter o amor que desejam sem ter que admitir que necessitam amor. Você pode notar que esta é a mesma manobra usada por alguém que usa o Padrão de Fusão Compensado, no qual elas projetam sua própria necessidade sobre o outro e então preenchem a necessidade do outro.